Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Gosto tanto da Lily quanto gosto da Emma Watson, Amber Heard, Blake Lively e cia. Pra mim, ela tem um estilo bacana e bem aberto para as tendências que a moda propõe, mas sem ser fashion victim. Aliás, saber lidar com a moda sem cair no ‘mais do mesmo’ é tarefa bem realizada por poucas, já que a maioria se preocupa tanto com o que é in, sem criar uma identidade de estilo própria.

Vi esse look que Lily usou na entrevista para o site sobre celebridades Just Jared e amei, tão clássico e ao mesmo tão condizente com sua idade:

Primeiro que calça cenoura é bem dificinha de usar, é boa pra quem tem pouco quadril e é bem magra – ainda assim pode não ficar tão boa. O top vinho é lindo, feminino e sexy. O scarpin acetinado combinando não ficou over, pelo contrário, acho que deu uma bossa a mais pra produção. Cabelo e make sempre impecáveis, achei uma produção excelente tanto pro dia quanto pra noite.

E gosto tanto dela e dos looks que volta e meia me surpreendem que resolvi ‘dissecar’ o estilo da moça, que com 22 anos sabe bem o que fica bom no próprio corpo, e inspira tanto a gente aqui no blog, hehe.

Outra coisa que adoro e que levo pra vida diária é a versatilidade na hora de criar uma produção. Normalmente eu já tenho em mente com o que irei combinar determinada roupa, o que torna tudo mais fácil. Aqui dá pra ver que Lily deixa transparecer suas vontades através do que veste. Por exemplo: hoje tô relax, então ‘bora lá’ usar uma calça basicona com t-shirt e alpargatas. E o mais legal é isso: ver que ela leva pro dia-a-dia calçados rasteiros e também mega saltos, como esse look amor aí do meio.

Na entrevista que ela deu para o Just Jared, ela fala bastante sobre moda e sua relação com ela em ‘Mirror, Mirror’, que tem um figurino bastante exótico e fashionista. Leia um trecho sobre abaixo (pra ler o original na íntegra, clique aqui):

JJ: Você pode dizer que você deve ter amado a moda neste filme.
LC: Eu amo moda, eu sou uma garota fashion. Cresci vendo minha mãe usar Yohji Yamamoto e Vivienne Westwood, e ela me levou a isso até apreciar a moda como uma arte. Eu amo roupas vintage e comprar roupas em brechós. Eu amo ir para o mercado de pulgas Rose Bowl e comprarem Melrose. Eu adoro experimentar em todos os tipos de lojas, misturando novos e antigos. Algo como uma festa da Vanity Fair é um momento em que eu me pergunte continuamente durante toda a noite “por que fui convidada?”

JJ: Suas escolhas fashion têm evoluído muito ao longo dos anos.
LC: Eu sinto que não importa o que você vista, se você está confortável, ele irá mostrar. Você possui o que você veste, você não quer que a roupa te possua. Eu acho que tenho crescido apenas mais confiante em saber a minha forma e o que funciona em mim. Quando algo é bom você sente que representa o melhor. Eu sinto que tenho crescido muito interiormente ao longo dos últimos anos.

Achei que ela é bem madura com relação a estilo pessoal, e bastante segura de si. Saber o que veste bem na gente é a melhor coisa, né? Também adoro os looks de red carpet, os mais glamourosos: se o detalhe nã está na roupa, pode ter certeza que está na make, ou em um acessório lindo.

Apesar do cabelo ser solto e ‘babylissado’ na maioria das suas aparições, nos red carpets mais chic’s ela surpreende com um presinho bagunçado com um elemento extra, ou um meio preso que, aparentemente é sem graça, mas aí vem um make up incrível que deixa todo o conjunto mais bonito, um complementando o outro. O olho é sempre bem marcado, seja por mil camadas de rímel ou com um esfumado bapho, e as tonalidades de batom são sempre bacanas, ainda mais quando ela aposta nos mais fechados. E quem não quer uma pele dessa, né?

Créditos: Talassa

Anúncios